O Valor da Área de Gestão de Pessoas na Era Digital

A tecnologia no meio organizacional é capaz de redefinir os padrões de liderança, a gestão de pessoas e até mesmo todo o conceito da palavra “trabalho”.

Nas organizações do futuro, estruturas de poder dão lugar a equipes eficientes e prontas para enfrentarem novas dinâmicas de trabalho, dentro de um amplo e diversificado perfil de novas habilidades e ferramentas.

Estudos na área de Gestão de Pessoas apontam a aquisição de talentos como a 3ª tendência de comportamento mais importante para que profissionais mantenham-se ativos dentro do mercado de trabalho.

Colaboradores devem manter-se em constante processo de aprendizado. Faz-se necessário o surgimento de novas e personalizadas formas de se fazer a gestão do conhecimento. Ferramentas analíticas, cognitivas e as redes sociais tornam-se fundamentais para conectar pessoas e empresas.  

 

 

Observamos que algumas empresas estão inovando por meio de uma combinação de ações digitais na atração de talentos, como o uso de gamificação em conjunto com entrevista por vídeo. Trata-se de uma das abordagens para rápida qualificação dos candidatos. A seleção se torna mais ágil e os candidatos têm maior aderência aos requerimentos da vaga.

Kelly Ribeiro | Diretora de Consultoria em Capital Humano; Deloitte Brasil

 

As empresas contam com cada vez mais ferramentas que proporcionam maior agilidade e assertividade nos seus momentos de decisões. Recursos analíticos têm sido utilizados principalmente pela área de Recursos Humanos, uma vez que permitem cruzar dados de candidatos internos e externos para preenchimento adequado de cargos.

Ao mesmo tempo que empresas embarcam na Inovação Tecnológica, novos perfis de liderança começam a ganhar espaço. Dentre as competências mais valorizadas neste novo cenário, as empresas esperam por profissionais mais ágeis, flexíveis, com mentalidade jovem e, principalmente, que captem o “modo digital” de gerir o negócio (LEIA MAIS).

Contudo, a grande preocupação diante de todas essas mudanças (estruturais e comportamentais), é se as empresas estão preparadas para viabilizarem esta transformação.

A Inovação só começa quando deixamos de analisar as questões de uma empresa sob uma visão antiquada e paramos de aplicar velhas soluções nos novos problemas.rir o negócio.

 


Leia Também:

 

Gabe Zichermann | Gamificação nas Empresas e na Educação

O Perfil do Profissional no Mundo Exponencial

 


Clique aqui e conheça as Plataformas Digitais da Minovelt!

Fale Conosco

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt